sexta-feira, 11 de outubro de 2013

Pinóquio.

- "Ah, mãe! Eu queria ir de Pinóquio ..."

Isso foi o que meu Pequeno disse logo após que li um recadinho na agenda da escola. Sexta-feira teria festa em homenagem ao Dia das Crianças e pediam que os pequenos fossem fantasiados.

Vendo um certo ar de tristeza naquela vontade quase frustrada, disse que poderíamos tentar fazer uma fantasia de Pinóquio. Sabia que para ele era importante. Desde muito pequenino ele conheceu o personagem, tem livros, filme, fantoche e, vez que outra, ainda o pego assistindo filmes e desenhos do Pinóquio no Youtube.

E ele queria uma fantasia do Pinóquio da Disney (pra tristeza do Papai que queria que fosse do Pinocchio italianíssimo).

imagem pega daqui


Sabia que a tarefa não seria assim muito fácil ... mas também não seria a primeira vez que criaríamos  uma fantasia meio em cima da hora  (quem não lembra da fantasia do Homem Aranha, basta clicar aqui).

Tirei uma tarde inteirinha pra ir na Saara. Entrei em absolutamente todas (TODAS!) as lojas de fantasias da Rua da Alfândega e da Senhor dos Passos (quem conhece a área pode imaginar a função). Como previsto, não existia fantasia pronta do Pinóquio.

- "Não pode ser do Peter Pan?", perguntou uma atendente de uma das lojas.

- "Não."

Com a mudança de plano - do plano a) encontrar uma fantasia do Pinóquio pronta, para o plano b) criar uma fantasia o mais parecida possível com o Pinóquio - refiz novamente o trajeto de toda a Rua da Alfândega, mais toda a Senhor dos Passos. Dessa vez buscando por separado itens para montar uma fantasia do bendito narigudo mentiroso.

Cansei, fiz bolha nos pés, mas encontrei quase tudo. Faltou o chapéu que ficou pro dia seguinte (sim, no dia seguinte voltei por lá).

Pra resumir a história, a fantasia do Pequeno saiu em torno dos R$30. O item mais caro da fantasia foi a luva (R$8). A fantasia do Peter Pan que a moça tinha me oferecido, em oferta, sairia por uns R$70.

Minha maior dificuldade foi com respeito ao nariz. Tentei fazer um nariz de papel, mas não deu muito certo. E no centro, havia somente dois tipos de nariz: um largão, estranho, meio deformado ou nariz de bruxa. Na falta de opção, fiquei com o largão mesmo.

O Grilo Falante foi bastante improvisado ... mas segundo o Pequeno, o Pinóquio não poderia ficar sem ele.

Hoje, enquanto o  vestia, vi em seus olhinhos uma felicidade quase absoluta. Ele amou sua fantasia e quando se viu no espelho parecia nem acreditar.

Fiquei um pouco em dúvida, se parecia ou não com o Pinóquio. Mas, ao sairmos do nosso edifício, uma moça logo soltou um "que lindo esse Pinóquio!". Ufa! Fiquei aliviada. Estava parecendo com o Pinóquio.

Valeu o esforço, embora ainda tenha uma bolha me incomodando ...

Um comentário:

  1. Olá queridos irmãos e Gremistão Nicolinha!

    Esse menino é super inspirado e feliz, além de uma alegria ímpar.
    Associado a isto tem uns Pais que adoram atender e tornar realidade as suas muitas imaginações.
    O resultado de tudo isto é este mundo maravilhoso da Fam´lia de voçês.

    Bjus a todos e continuem assim, sempre Unidos!


    Renato Fraga - O do meio
    O mais bonito

    ResponderExcluir

Deixa um recadinho pra gente aqui, vai!